O blog do Cavaleiro Maker

O Fantástico Mundo dos Card Games - Parte 1

Postado por Eduardo Botelho Em terça-feira, 7 de outubro de 2014 0 comentários

Salve galera! Depois de novamente passar um tempinho sem postar, recebi uma inspiração pra postar conteúdo no blog: Tenho jogado muitos card games e acho que seria bacana compartilhar um pouquinho do quase nada que eu sei. Essa postagem virá em três partes, e a primeira irá falar sobre os três TCG (abreviação de Trading Card Game) mais conhecidos por essas bandas: Magic The Gathering, Pokemon TCG e YuGiOh!



A origem dos TCGs vem dos Estados Unidos, daquelas coleções de cartinhas de jogadores da liga nacional de Baseball. Com o tempo e o sucesso dessas coleções, foram lançados novos modelos, baseados em outros esportes, HQs, desenhos animados, filmes, etc. Foi então que surgiu o primeiro jogo baseado em cartas colecionáveis, que simulava um combate entre dois jogadores: Magic The Gathering. Esse jogo tornou-se um modelo para todos os Card Games vindouros, com elementos que viriam a ser copiados ou modificados na maioria deles, como o gerenciamento dos recursos, criaturas e magicas que alteram as regras do jogo, e as áreas de jogo como o deck, mão, campo e descarte.

Magic é o mais famoso e mais popular card game da atualidade, embora nem sempre tenha sido dessa forma. Ele já passou por alguns altos e baixos, e hoje tem a supremacia sobre os TCG, por ter uma combinação de regras sólidas, equilibrio, muita estratégia e artes belíssimas. O jogo se trata de um duelo entre magos, os planeswalkers (que são os jogadores), que retiram energia mágica dos planos para utilizar feitiços, invocação de criaturas e artefatos e tentar derrotar o mago adversário. No jogo, propriamente dito, o jogador deve montar seu grimório (seu deck) contendo uma variável quantidade de cartas incluindo criaturas, magicas, feitiços, auras, artefatos, terrenos, etc.  As cartas que são mais importantes são os terrenos, já que deles você tira mana para usar todas as demais cartas, que terão um custo colorido no topo. As cores predominantes de seu deck podem dizer a maneira como você joga: o deck azul é focado em mágicas e feitiços que controlam o campo de batalha, branco costuma atacar com muitas criaturas pequenas, verde tem criaturas custosas, mas extremamente poderosas, vermelho ataca rápido e forte, embora peque na defesa, e finalmente preto, que tem criaturas que voltam fácil do cemitério, e tem facilidade de colocar criaturas adversárias lá. Usando essa combinação, você deve atingir seu oponente até eliminar todos seus pontos de vida, embora o mesmo possa bloquear seus ataques com suas próprias criaturas ou mágicas.



Depois de algumas idas e vindas de Magic, a Wizards conseguiu se estabilizar, e ao ver o sucesso de uma franquia estrangeira em terras ocidentais, pensou "Por que não?". Assim, pegando carona no desenho animado de Pokémon, ela lança Pokémon Trading Card Game (aqui no Brasil saiu como Pokémon Estampas Ilustradas). O jogo claramente foi feito para uma audiência bem mais jovem, com regras mais simples. O esquema de deck é o mesmo, mas você não precisa pagar um custo para colocar um pokémon básico em campo. De fato, se você não tiver um pokémon lá, você perde a partida. Um turno depois que um pokemon básico está em campo, seja como pokemon ativo (o que está lutando contra o oponente) ou um dos cinco reservas (lembrando que no desenho o treinador só pode carregar seis pokemon), ele pode ser evoluído para um poke mais forte. Para atacar o oponente, você deve anexar cartas de energia ao pokemon. Pokemon mais poderosos tem ataques mais fortes e mais custosos. Ao derrotar um pokemon inimigo, você coleta um prêmio e seu oponente deve substitui-lo por outro pokemon reserva. Você vence a partida se coletar 6 premios, ou se o oponente não tiver mais pokemon reservas.



Enquanto a Wizards estava ali, dominando em vários fronts, várias empresas tentavam abocanhar o promissor mercado dos jogos de cards. Uma das que teve êxito foi a desenvolvedora de games Konami, com seu TCG/Anime Yu-Gi-Oh!. Nesse jogo, você deve destruir o oponente e seus monstros, usando seus próprios monstros, mágicas e armadilhas. O campo de batalha é bem mais limitado que o dos outros dois jogos, e aqui as criaturas são um pouco mais que ferramentas, são uma parte essencial do combate, já que quando uma criatura é destruida, seu mestre também sofre dano. Ao reduzir os pontos de vida do adversário a 0, ganha-se a partida. Há outras formas, inclusive o famigerado Exódia, o qual vence a partida automaticamente caso o jogador consiga colocar na mão todas as cinco cartas que o compõem. Yu-Gi-Oh! fez sucesso baseado em seu anime, mas o TCG evoluiu muito mais rapidamente que o drama, com novas regras, novos tipos de criaturas que tornam o jogo mais competitivo, limitações para evitar que os jogadores coloquem facilmente monstros poderosos em campo, entre outras. Também ficou extremamente popular por ter cartinhas com pactos com o capeta, que pegam fogo azul, e consomem a alma das criancinhas caso elas participem do duelo das trevas (essa parte não foi verificada e não possui citações confiáveis). Por esses motivos era fácil achar cartinhas de Yu-Gi-Oh! nas ruas, provavelmente de algum garoto cuja mãe o exorcizou e expulsou todas as criaturas dusinferno de dentro de casa.



Tá, mas onde posso achar esses jogos pra brincar?

Qualquer lujinha dos artigos nerds deve possuir, especialmente, decks de Magic, e possivelmente Pokémon (Yu-Gi-Oh! você só vai encontrar se vier do Japão, já que os nipônicos gostam das coisas do capeta). Há decks prontos, bem fáceis de se achar, e que possuem o básico pra você começar a brincar com os amiguinhos. Se quiser montar um deck competitivo, terá de achar os booster packs (pacotinhos) que vem com algumas cartas não tão básicas, e uma chance de conseguir uma carta realmente poderosa.



Tá, mas quero jogar de graça.

Bom, aí já dificulta um pouco, a menos que você ganhe cartinhas de pessoas extremamente altruistas. Se você não se importar, pode jogar via computador. Pode jogar Magic via o jogo da MicroProse (conhecido popularmente como Shandalar, o plano no qual o jogo se passa). O jogo é um abandonware, então pode baixar de graça e sem culpa aqui, embora seja um tanto desatualizado em questão de cartas, e não seja automatizado como os recentes Duel of Planeswalkers. Para jogar Pokémon, é possivel jogar de graça o jogo oficial, da Nintendo (sim, agora eles são responsáveis pelo TCG, e não mais a Wizards). A página oficial do jogo é essa, e basta fazer um cadastro e baixar o client pra começar a jogar. Você ganha alguns decks prontos para o modo torneio (um modo arcade do jogo), e para jogar versus deve montar seu deck com cartas recompensa do torneio, ou compradas com dinheiro ingame (ou real, se você quiser acelerar o processo). Por fim, Yu-Gi-Oh! é um pouco esquecido pela Konami em questão de games, geralmente possui lançamentos para videogames portáteis. Mas não tema, você pode jogar esse TCG usando o YGOPro. A finalidade desse software é testar decks competitivos de forma automatizada, mas nada impede que você junte seus amigos noobs e tenha uma experiência bacana com o jogo, para aprender as regras e conhecer as cartas. O download do YGOPro pode ser feito aqui, inclusive para Android.





Bom, esse é um basicão sobre os TCG mais famosos em atividade, e no próximo post vou falar sobre alguns não tão conhecidos, e sobre o emergente sucesso de Hearthstone. SeeYa!

0 comentários:

Postar um comentário