O blog do Cavaleiro Maker

O Fantástico Mundo dos Card Games - Parte 2

Postado por Eduardo Botelho Em terça-feira, 14 de outubro de 2014 0 comentários

Salve galera, beleza? Hoje continuo a série de postagens sobre Card Games, e vou falar um pouco sobre alguns jogos que não são tão famosos quanto Magic ou Yu-Gi-Oh!, ou jogos que estão começando a conquistar seu espaço. Se você perdeu o post anterior, onde falo de Magic The Gathering, Yu-Gi-Oh! e Pokémon TCG, pode ler aqui.


Bom, hoje estarei comentando sobre quatro jogos que tem lutado para conquistar um espaço entre os poderosos e famosos card games citados no artigo anterior. Começarei por aquele que é o menos conhecido por aqui, Alteil

Alteil é o mais diferenciado entre os card games citados aqui, já que diferentemente dos demais, onde você deve comprar comprar cartas de um deck, adicionar à mão e dali jogá-las em campo, aqui você tem seu deck inteiro à disposição para jogar a qualquer momento. O jogador começa com cinco SP, e deve gastar esses pontos primeiramente para aumentar o seu rank em uma das quatro esferas de influencia (Gowen, Lawtia, Refess, Falkow). Após isso, você pode escolher um card do seu deck cujo custo seja menor ou igual ao SP restante, e que tenha um nível menor ou igual à esfera de influencia à qual pertence.

Essa carta vai para o espaço Set, onde aguarda até o início do próximo turno, e nesse momento você seleciona onde vai colocar a carta, num grid 3x3. Essa parte é importante, já que as cartas tem um range e não podem atacar um oponente além de seu alcance. O combate também é diferente, já que você escolhe a ação do personagem, e ele ataca um inimigo aleatório em seu alcance (algumas habilidades permitem escolher o alvo), ou descansa para recuperar seu HP. Ao zerar o HP de uma unidade, ela é virada para baixo, e caso o jogador possua outra cópia desse card, pode "ressuscitar" esse card, pagando 1SP. Caso contrário, o Iczer (o avatar do jogador) toma um ponto de dano. O jogador que tomar cinco pontos de dano perde. Ao sofrer um ponto de dano, um card setado abaixo do avatar do jogador causa um efeito adicional, podendo auxiliar o jogador a se recuperar.

Enquanto que como jogo, talvez seja um pouco complexo e não tenha o apelo que um Magic possui, Alteil faz muito sucesso no Oriente, pelo design incrível de suas cartas, e pela história do jogo em si. Houveram algumas tentativas no Ocidente, mas nenhuma emplacou, e recentemente o jogo foi para o Steam Greenlight, para uma nova tentativa de fazer o jogo vingar por essas bandas. Lembrando apenas que Alteil é exclusivamente online, não há um jogo com cartas físicas (ao menos é gratuito).


Outro jogo de cards online, lançado no intuito de competir com Magic, foi Shadow Era. Nesse jogo há um duelo entre as forças das sombras e dos humanos. O jogo acabou fazendo bastante sucesso, e foi lançado para plataformas mobile, desktop e inclusive cartas físicas, depois de uma bem sucedida campanha no Kickstarter.

A principal carta é o herói, o comandante do time, que possui uma facção e uma classe. Seu deck deve ser montado com cartas pertencentes à mesma classe do herói, ou neutras. O objetivo do jogo é reduzir a vida do herói adversário a 0, por meio de habilidades ou ataques de "aliados" (as criaturas do jogo). No início de seu turno, você pode sacrificar uma das cartas na sua mão para adquirir recursos (cada carta sacrificada aumenta o máximo de recursos em 1, mas apenas uma carta pode ser sacrificada por turno). Cada carta possui um custo de recurso, e os aliados possuem uma quantidade de pontos de vida, e a força (quantidade de dano causado). Os Heróis possuem uma habilidade especial, que pode ser utilizada ao gastar Shadow Energy, um tipo de energia acumulada turno a turno pelo herói.


O jogo seguinte é Might and Magic: Duel of Champions. O jogo da Ubisoft tenta dar ao card game a pegada estratégica da série. Neste jogo, você possui um herói, com uma quantidade de vida, e uma arena 2x4, assim como seu oponente. Ainda há 4 espaços neutros no centro do tabuleiro. No início de cada turno, você pode aumentar um dos atributos básicos (Might, Magic e Destiny), e usando uma quantidade de recursos disponíveis, invocar uma criatura de sua mão, desde que tenha atributos o suficiente para fazê-lo, e colocar no campo. Esses cards tem três atributos de ataque: Melee (só ataca da linha de frente), Ranged (ataca da linha de trás, mesmo com outro personagem à sua frente) ou Flying (ataca de qualquer lugar). Uma vez por turno, suas cartas podem atacar ou mover-se. Caso a linha à sua frente esteja sem nenhum inimigo, o card pode atacar diretamente o herói adversário. Cada carta tem uma quantidade de ataque, retaliação (o dano que causa ao oponente ofensor, caso sobreviva um ataque) e pontos de vida. Além disso, há duas pilhas de cards, no centro da arena, onde estão card que afetam ambos os jogadores, e que qualquer jogador que tenha recursos suficientes pode jogar.


Por fim, depois dessas empresas tentarem criar o novo Magic: The Gathering (e sempre falhando em algum ponto, já que nenhum desses card games alcançou o sucesso do game da Wizards), uma empresa de fora do ramo dos TCG, mas com muita experiência em Games em geral, decidiu se arriscar. Foi aí, com um investimento inicial limitado, que nasceu Hearthstone, o card game baseado na franquia Warcraft, da Blizzard. O jogo é claramente baseado em Magic, como os próprios desenvolvedores confessam, já que eles são fanáticos pelo jogo de Richard Garfield, mas eles tentaram fazer com que o jogo fosse simples de aprender e tivesses uma pegada estratégica assim como MTG. 

Então surgiu um game online fácil de se iniciar, e que um jogador dedicado poderia criar estratégias e decks para gerar combos fantásticos. Cheio de interatividade, com uma música (e uma dublagem) cativante e o design muito bem feito, Hearthstone subiu ao topo do rank dos TCG, junto com Magic, e atualmente há campeonatos mundiais desse jogo e uma fanbase imensa. Inclusive, para a galera que não manja de Inglês, o jogo é completamente traduzido para Pt-Br, inclusive as falas dos heróis e dos lacaios.


As cartas são seus minions, e seu objetivo é derrotar o herói adversário. A cada turno, você recebe um cristal de mana (até 10 no máximo). Quando você usa um cristal, ele ficará vazio até o início de seu próximo turno. Ao pagar a quantidade de mana requerida por uma carta, ela poderá ser jogada em campo, podendo ativar uma habilidade (Grito de Guerra), caso possua um. Toda carta de minion tem seus pontos de vida e de ataque, e ao zerar seus pontos de vida a carta é destruída, ativando suas habilidades de último suspiro. Além disso há cartas de magias, que usam uma habilidade no herói ou minions adversários, ou armas que possibilitam ao herói atacar como uma carta normal. Os heróis são baseados em personagens clássicos de Warcraft, como Uther the Lightbringer (Paladino) ou Thrall (Xamã), e os minios são criaturas básicas dos jogos, como os Murlocs, Golems e unidades humanas.

Bom, esses são os jogos de card que tem emergido mais recentemente. Na última parte do artigo, irei falar sobre card games para mobiles, embora não sejam muitos, são bastante divertidos e vale a pena mencioná-los aqui. See Ya!

0 comentários:

Postar um comentário